Envio de Exame ao Laboratório

Devido à importância e responsabilidade da análise anátomopatológica devemos ter um cuidado especial na coleta e preservação (fixação) do material, no acondicionamento, no envio e no preenchimento da requisição do exame ao Laboratório APC. Isto porque se trata de material biológico nobre, de re-coleta, às vezes, muito difícil e cujo resultado geralmente é motivo de grande ansiedade, seja para pacientes e familiares seja para o médico assistente.

COLETA e FIXAÇÃO do MATERIAL de BIÓPSIA

Os fragmentos de tecido, biópsias ou peças cirúrgicas diversas, retiradas por médicos, devem ser enviados ao Laboratório APC fixados em formol a 10% e identificados claramente com o nome do paciente.  O volume de fixador deve equivaler a 10 vezes o volume da peça a ser fixada. Em caso de peças volumosas, deve-se cobri-la com o fixador e enviá-la o mais rápido possível ao laboratório.

ACONDICIONAMENTO do MATERIAL de BIÓPSIA

O material a ser enviado ao Laboratório APC deve ser acondicionado seguindo algumas regras básicas, para que a qualidade do exame seja a melhor possível:

a) Deve ser colocado em recipiente adequado ao tamanho do material. Como regra geral os frascos devem ser grandes e de boca larga e conter quantidade suficiente de fixador (volume 10x maior que o da peça). Deve-se assegurar que não vazem o conteúdo.
b) Frascos pequenos só devem ser utilizados para material pequeno, como biópsias endoscópicas e por agulhas.
c) Peças cirúrgicas grandes devem ser colocadas em sacos plásticos duplos e firmes para evitar vazamentos.
d) O recipiente deve estar clara- e adequadamente identificado com o nome do paciente e especificação do sítio anatômico, no mínimo.
e) Deve ser enviado o mais rápido possível ao Laboratório.
f)  Envolver o(s) frasco(s) com saco plástico adicional para evitar vazamentos.

ACONDICIONAMENTO DE MATERIAL CITOLÓGICO

Material proveniente de punção aspirativa por agulha fina, raspados, exames preventivos do colo uterino, e líquidos diversos devem ser coletados pelo médico e enviados em álcool 95% ou a seco, na dependência da técnica escolhida pelo próprio médico que os coletam.
Lâminas citológicas secas ao ar ou fixadas, devem ser encaminhadas em recipientes próprios, como os tubos com ranhuras. Caso as lâminas sejam enviadas em álcool 95%, os tubos devem ser fechados de forma a evitar vazamentos que podem borrar o nome do paciente e os dados clínicos.

Líquidos (ascítico, conteúdo de cisto, derrame pleural, lavado brônquico, lavado peritoneal, lavado vesical, líquido articular, líquor, urina, etc):

As amostras de líquidos, para exame citopatológico, devem ser encaminhadas ao Laboratório APC logo após a coleta, em frascos ou seringas, rotulados e claramente identificados com o nome do paciente e do médico requisitante.

Caso isto não seja possível, por exemplo material vindo de outras cidades, recomendamos que os esfregaços devem ser feitos imediatamente após a recepção do material no laboratório-clínica de origem. Os esfregaços (as lâminas somente, em um total de 2 a 3) devem então ser fixados em álcool 95% e então enviados ao Laboratório APC. Caso contrário, habitualmente já haverá muita autólise ou deterioração acentuada, com prejuízo de leitura microscópica. Não é necessário enviar todo o material coletado, 5 a 10 ml do líquido é suficiente.

Os patologistas do Lab APC também realizam coletas, principalmente punções aspirativas por agulha fina, guiadas ou não por métodos de imagem, sempre com agendamento prévio. Nestes casos solicitamos aos pacientes que tragam exames anteriores, caso existam. O uso de salicilatos ou anticoagulantes deverá ser suspenso nos 7 dias que antecedem à punção, salvo por outra orientação médica explicita.

REQUISIÇÃO dos EXAMES

Todo material a ser enviado ao Laboratório APC deve vir acompanhado por uma requisição de exame, que será preenchida claramente pelo médico que coletou o material e/ou que está requisitando o exame anatomopatológico.

A Requisição deve conter alguns dados mínimos, e estes dados devem ser claros e legíveis:

1) Identificação do paciente: nome, número de registro hospitalar (se internado), sexo, idade, etnia e outros dados, se relevantes, para o diagnóstico.
2) Identificação do material, data e topografia anatômica de coleta: assinalar o exato sítio de coleta do material. Se houver mais do que um local, identificar os frascos e referir (designar) o local de cada um deles.
3) Marcação da peça cirúrgica com pontos que possibilitem  a identificação da posição anatômica
4) Hipóteses clínicas e dados de exames e tratamentos anteriores.
5) Identificação e telefone do médico solicitante.

COMO ENCAMINHAR UMA AMOSTRA PARA EXAME CITOPATOLÓGICO

Laboratório APC pode providenciar o transporte seja através de nossos próprios serviços ou através de outros meios de transporte (transportadoras, serviços de ônibus, etc). Caso necessite de assistência ou informação no transporte de espécimens não hesite em contatar-nos (Fale com o APC).

Gostaria de mais informações?