Erro
  • JUser: :_load: Não foi possível carregar usuário com ID: 44

Patologia Gastrointestinal

Escrito por 
Avalie este item
(0 votos)

Casos de patologia gastrintestinal são cuidadosamente examinados de acordo com as recomendações de especialistas da área. Temos biblioteca específica com os livros básicos e artigos atualizados. Casos de complexidade diagnóstica são examinados por pelo menos 2 patologistas e eventualmente enviados para consulta externa (‘segunda-opinião”) com especialistas.

CUIDADOS na REALIZAÇÃO da BIÓPSIA: As biópsias endoscópicas devem ser colocadas em fixador após a retirada, e as diferentes regiões devem ser identificadas (designadas) em recipientes separados. Biópsias gástricas de corpo e antro devem ser colocadas em recipientes separados, principalmente em casos de mucosas atróficas, para investigação de gastrite auto-imune. Para investigação de gastrites em geral, recomenda-se a retirada de, no mínimo, 2 fragmentos do corpo, 2 do antro e 2 da incisura angular. No caso de lesões ulceradas, deve-se retirar o máximo possível de fragmentos, tendo-se o cuidado de evitar áreas necróticas, o que aumenta o índice de positividade em processos neoplásicos.

FIXAÇÃO: a fixação do material deve ser feita em formol a 10%. O Laboratório APC pode fornecer Kits para preservação, acondicionamento e envio de material. Envio ao laboratório pode ser por correio ou solicitando busca.  Contate-nos.

INFORMAÇÕES CLÍNICAS: são fundamentais para a conclusão diagnóstica, podendo ser complementada com fotos clínicas, desenho da lesão, etc.

IDENTIFICAÇÃO do FRASCO COM A BIÓPSIA: este é um passo fundamental e deve ser realizado no próprio local onde a biópsia foi retirada.