Erro
  • JUser: :_load: Não foi possível carregar usuário com ID: 44
Imprimir

Dúvidas e FAQs

Postado em Neutra

A biópsia deve ficar na geladeira enquanto não é entregue no laboratório?

Não, desde que esteja em líquido fixador, deve ficar na temperatura ambiente.

Como colher exame citopatológico e enviá-lo ao Lab APC ?

EXAME DE PAPANICOLAOU - Veja "Manual de Coleta de
   Citologia".
• CITOLOGIA de ESCARRO:  1. Pela manhã, logo após
   acordar: a) Escovar bem os dentes. Escovar (com a escova
   de dentes) a superfície da língua. b) Tossir bem forte e
   coletar material  "de dentro dos pulmões"; tapotagem ajuda.
   Não serve material cuspido; o material deve ser escarrado.
   c) Colher o material obtido, colocar dentro do frasco que
   contem álcool a 50% (fornecido pelo laboratório).
• CITOLOGIA de LÍQUIDOS e SECREÇÕES em GERAL:
   Idealmente para uma boa citologia de líquidos,
   adequadamente celular e bem fixada, os esfregaços devem
   ser feitos imediatamente após a recepção do material no
   laboratório-clínica de origem; os esfregaços (as lâminas
   somente, em um total de 2 a 3) devem então ser fixados em
   álcool a 95% e enviados ao laboratório final.

Como faço para que meu exame seja realizado pelo LAB APC?
Como solicitar exame imuno-histoquímicO ou hibridização?

Tenha acesso ao(s) bloco(s) de parafina com o tecido a ser estudado e ao laudo anátomo-patológico original. Imprima e preencha o formulário de solicitação.
      Encaminhe o bloco e cópia do laudo anátomo-patológico original para o Laboratório APC,  através de portador ou correio (Sedex) juntamente com o formulário de solicitação preenchido e assinado. Em situações de rotina, o laudo e eventualmente as fotomicrografias das lâminas serão entregues no prazo de sete dias úteis. Em situações mais complexas, caso haja necessidade de tempo maior para finalização do exame, o solicitante será contatado.  Recebemos material de todo o Brasil via Sedex ou através de nossos representantes.

Condições que prejudicam a conclusão diagnóstica?

Para um exame apropriado, devem ser observados alguns cuidados durante a realização da retirada do material. Em algumas situações, o diagnóstico pode ser prejudicado, ou mesmo inviabilizado. As causas de falhas mais freqüentes em biópsias são: 

  a) Falta de representatividade do material colhido

        1) Biópsias exíguas e diminutas, pouco representativas
            da lesão. 
        2) Amostras de áreas necróticas que circundam ou
            recobrem tecidos neoplásicos, ou apenas bordos   
            de lesões ulceradas.
        3) Material manuseado inadequadamente, submetido a
            esmagamento, pressão e, sobretudo, colocado à força
            em recipiente de gargalo estreito, comprimindo-o e
            deformando-o. 

  b) Defeitos de fixação 

         Logo após a sua retirada, os fragmentos de tecidos
         devem ser colocados em fixador, salvo indicação em
         contrário. É importante que o material fique submerso e
         que o volume do fixador (universal é o formol a 10%)
         seja cerca de 5 a 10 vezes o volume do material. 

  c) Troca ou desvio do material

         É importante a identificação do material imediatamente
         após a sua retirada, ainda no centro cirúrgico ou no
         ambulatório. Ao chegar ao laboratório, ele será 
         reidentificado com registro próprio. É importante que o
         material enviado seja sempre acompanhado de
         informações precisas, com a identificação adequada do
         paciente, dados gerais, informes clínicos de importância,
         local da etirada do material (região, plano) e o tipo de
         biópsia efetuada.

Em que hospitais estamos presentes?

 Estamos presentes nos principais hospitais, clínicas e consultórios de Cascavel, Toledo, Palotina, Marechal Cândido Rondon e Região.

O álcool utilizado é o mesmo Das farmácias?

Sim. Álcool a 95%.

O exame preventivo ou de Papanicolau é uma citologia?

Sim, é o tipo mais comum de exame citopatológico, também chamado de colpocitologia oncótica, preventivo, Papanicolaou, citologia cérvico-vaginal etc.

O formol utilizado é o mesmo que se encontra nas farmácias?

O formol encontrado na farmácia é dito "bruto" (40%). Para ser utilizado para fixar biópsias deve ser diluído em solução fisiológica 0,9% (preferencialmente) ou água, na proporção de 1 parte de formol + 9 partes de solução fisiológica ou água.

O material deve ficar na geladeira?

Material coletado em lâmina de vidro, tanto fixado no álcool quanto no ar ou “spray”, pode ficar na temperatura ambiente, porém material líquido coletado em frasco sem fixador deve ficar na geladeira até ir para o laboratório (ex.: líquido pleural, líquido ascítico etc). Cabe ao médico que realiza o exame orientar sobre a necessidade de refrigeração para cada caso.

O que é Citologia?

Exame também chamado de citopatológico, consiste na retirada de células soltas de um órgão ou presentes em um líquido para estudo. Esse material é normalmente colocado em lâminas de vidro ou frascos específicos e levado ao laboratório de Anatomia Patológica.
      Exemplos de exames citológicos: líquido ascítico, conteúdo de cisto, derrame pleural, lavado brônquico, lavado peritoneal, lavado vesical, líquido articular, líquor, urina, etc.

      Como enviar citologias ao Laboratório APC:  logo após a coleta, sem fixador. Caso isto não seja possível, por exemplo material vindo de outras cidades, recomendamos que os esfregaços devem ser feitos imediatamente após a recepção do material no laboratório-clínica de origem. Os esfregaços (as lâminas somente, em um total de 2 a 3) devem então ser fixados em álcool 95% e então enviados ao Laboratório APC. Caso contrário, habitualmente já haverá muita autólise ou deterioração acentuada, com prejuízo de leitura microscópica. Não é necessário enviar todo o material coletado, 5 a 10 ml do líquido é suficiente.

O que é Exame Intra-Operatório ou Biópsia por Congelação?

É um exame realizado durante o ato cirúrgico, solicitado previamente pelo cirurgião. São realizados rapidamente cortes  microscópicos da área onde está sendo realizada a operação; geralmente é quando se deseja saber se uma determinada condição é “maligna” ou “benigna”, mas há também outras situações em que se desejam outras respostas.
      Este exame deve ser solicitado previamente à administração do Centro Cirúrgico, que informará ao Laboratório APC. É um exame em que o patologista estará em contato direto com o cirurgião enquanto o paciente está anestesiado.

O que é imuno-histoquímica?

É um método diagnóstico complementar ao exame anatomopatológico, realizado em material de biópsia ou peças cirúrgicas ou, então, em citologia. As técnicas de imuno-histoquímica (IHQ) detectam moléculas (antígenos) teciduais, sendo de grande valor nos diagnósticos anátomo-patológicos e na investigação científica. Sinônimo: imunoperoxidase.  
      Aplicações: determinar o sítio primário de uma neoplasia; caracterizar uma neoplasia indiferenciada; determinar fatores prognósticos no câncer de mama; perfil hormonal em adenomas de hipófise; imunofenotipagem de linfomas; determinar a sensibilidade de alguns cânceres a determinadas drogas como alvos neoplásicos específicos; determinar indiretamente a presença de mutações genéticas em alguns tipos de cânceres familiares; detecção de antígenos de agentes infecciosos; auxílio da diferenciação entre neoplasias e estados reacionais em linfonodo e baço; etc.

Para maiores detalhes veja também: “Onde Atuamos – Orientações – Imuno-histoquímica”.

O que é punção-biópsia aspirativa por Agulha Fina (PAAF)?

PAAF é uma técnica minimamente invasiva de obtenção de células de órgãos e tecidos. Para tanto, utiliza-se uma agulha de fino calibre, acoplada a uma seringa comum, sobre a qual se exerce uma pressão de sucção. Trata-se de técnica comumente de fácil execução, não necessitando internamento, podendo ser realizada no ambulatório ou no consultório.
      A agulha de PAAF pode acessar diretamente massas de órgãos e estruturas superficiais, como linfonodos, tireóide e mama. Pode também acessar órgãos e estruturas profundas, como pulmões, figado e rins, auxiliada então por ultrassom ou tomografia. Com isto pode-se diagnosticar ou orientar o diagnóstico de numerosas condições neoplásicas, inflamatórias ou de outra natureza.

O QUE É UMA BIÓPSIA?

É a retirada de pequenos fragmentos de um órgão para estudo. Esse material é normalmente colocado em formol a 10% e levado ao Laboratório de Anatomia Patológica para ser visto por um médico anatomopatologista. Após analisar as células ao microscópio, o anatomopatologista faz um laudo contendo suas observações e sua conclusão diagnóstica.

O QUE É “EXAME DE REVISÃO”?

O exame de revisão é um exame no qual o patologista emite uma segunda opinião sobre um laudo anatomopatológico já emitido anteriormente (veja mais detalhes em “Orientações Gerais – Exame de Revisão”).

Para que serve o exame preventivo ou de Papanicolau?

Principalmente para detectar o câncer do colo uterino ou, preferencialmente, alterações celulares que podem dar origem ao câncer do colo uterino anos mais tarde (por isso ele é chamado de "preventivo"). Quanto mais cedo essas alterações forem descobertas, maior a chance de cura e menos complexo e traumático é o tratamento. Normalmente são dadas outras informações neste exame como a presença ou ausência de infecções (candidíase, tricomoníase, bactérias...) e o estado hormonal.

QUAL O PROCESSO PARA QUE O EXAME DO MEU PACIENTE SEJA DIAGNOSTICADO PELO LAB APC?

Se o procedimento foi realizado em um Hospital que já atendemos, solicite o nosso pedido de solicitação de exame e o nosso kit para acondicionamento da amostra. Não esqueça de informar no pedido o local para entrega do laudo.
      Se o procedimento foi realizado no consultório ou clínica e ainda não é nosso cliente, basta entrar em contato com a nossa Central de Relacionamento através do telefone 45 3223-3571

Quando deve ser feito o exame preventivo?

Todo ano, a partir dos 18 anos ou do início da vida sexual, vale o que for menor.

Quando o médico indica um exame citopatológico?

O exame colpocitológico deve ser feito anualmente, independentemente de doenças ginecológicas. Os demais exames citopatológicos costumam ser solicitados quando o indivíduo apresenta alguma doença cujo diagnóstico final não pode ser feito através do exame clínico, de exames de laboratório de Patologia Clínica (ex.: exames de sangue, fezes, urina, escarro...) ou por exames radiológicos. Por exemplo, ao realizar uma consulta o endocrinologista percebe um nódulo na tireóide do paciente.
      Através de uma seringa com agulha fina retiram-se células do nódulo tireoidiano. O material é examinado pelo médico anatomopatologista, que diagnostica se é um nódulo benigno ou se é um câncer. Esse resultado vai determinar o tipo de tratamento e a provável evolução do paciente.

Quando o médico indica uma biópsia?

Quando o diagnóstico final não pode ser feito através do exame clínico, de exames de laboratório de Patologia Clínica (ex.: exames de sangue, fezes, urina, escarro...) ou por exames radiológicos. Por exemplo, ao realizar uma endoscopia gástrica o endoscopista vê uma úlcera. Através de uma pinça especial do endoscópio ele retira pequenos fragmentos do revestimento do estômago na área ulcerada.
      Esse material é examinado pelo anatomopatologista, que diagnostica se é uma úlcera péptica benigna ou se é um câncer ulcerado. Esse resultado vai determinar o tipo de tratamento e a provável evolução do paciente.

Quanto tempo demora para se ter o resultado?

Varia para cada laboratório. Em média três a cinco dias. Contate-nos !

Quanto tempo leva em média para a entrega dos resultados (a partir do momento de entrada do exame no laboratório)?

A grande maioria dos laudos anatomopatológicos fica pronto em até 5 dias úteis a partir da data do encaminhamento do exame (especialmente data de entrada do exame no laboratório). Entretanto, casos especiais podem levar mais tempo para ficarem prontos e serão, via de regra, assinalados para o paciente, no momento da entrega do material. 

Motivos para retardo na emissão do laudo:

- Casos de complexidade diagnóstica
- Pedidos de colorações especiais
- Pesquisas de microorganismos
- Demora na entrega do exame ao Laboratório.
- Demora na liberação do exame pelo Plano de Saúde.
- etc

      O  paciente ou médico requisitante poderá ser avisado em momento oportuno.  Ligue e confirme se o resultado de seu exame já está pronto, antes de se dirigir ao Laboratório APC para retirá-lo. Para entender melhor estes prazos, entre em contato com a nossa Central de Relacionamento com o Cliente (45 32233571).

ATENÇÃO: Sob demandas específicas os resultados podem ser liberados em tempo mais abreviado; alguns, como os citológicos podem ser feitos até no mesmo dia de entrada. Consulte-nos.

Quanto tempo uma amostra pode ficar no álcool à 95%?

O ideal é que não ultrapasse 48 horas, mas pode ficar por várias semanas. 

Quanto tempo uma amostra pode ficar no formol?

O ideal é que não ultrapasse 48 horas, mas pode ficar por várias semanas.

Toda biópsia é sempre colocada em formol?

Não. A grande maioria é preferencialmente fixada em formol 10%, mas há algumas poucas exceções. Alguns órgãos ou determinadas biópsias especiais (ex.: biópsia renal) são melhor condicionadas em outros fixadores, como o álcool, acetona, Bouin ou glutaraldeído; outras devem seguir para o laboratório a fresco ou congeladas.
      Cabe ao médico que realiza a biópsia saber o tipo mais indicado de fixador para cada caso.

Todo exame citopatológico é sempre colocado em álcool?

Não. A grande maioria é preferencialmente fixada em álcool, mas existem algumas exceções. Alguns órgãos ou determinados exames citopatológicos especiais são melhor acondicionados em outros fixadores, como o acetona ou mesmo o ar. Existe atualmente um novo método de fixar exames citopatológicos sem usar o álcool, que é o “spray” fixador.
      As grandes vantagens deste método são: não derramar álcool e diminuir o espaço físico necessário durante o transporte. Cabe ao médico que realiza o exame saber o tipo mais indicado de fixador para cada caso.